MEL, AJUDA A AUMENTAR A IMUNIDADE

/, Noticias, Vida Saudável/MEL, AJUDA A AUMENTAR A IMUNIDADE

 

Mel, uma palavra que nos transporta para uma embalagem de vidro recheada de uma substancia dourada, também nos transporta para as abelhas e a interação destas com as flores, ou mesmo associamos ao frio, tosse ou o adoçar de algum alimento ou bebida. Mas o que faz do mel um super alimento e que pode ser um aliado nos tempos que correm nesta crise sanitária a que o mundo se enfrenta?

O mel é um adoçante natural produzido pelas abelhas. Como adoçante, destaca-se por ser um alimento com alto poder energético imediato, fácil de digerir e assimilar.

A glicose e frutose presentes no mel são os responsáveis pela doçura e poder energético do mel. A composição do mel depende da origem floral, fatores climáticos, tipo e estado da colónia de abelhas. 80% da composição do mel são carboidratos, onde a glicose se destaca 30% e frutose 40%, outros componentes são ácidos, minerais, proteínas, elementos aromáticos e vitaminas.

Um estudo publicado na revista Molècules*, um jornal diário de prestígio internacional de especialistas em química, analisa e publica os benefícios dos componentes do mel relacionados à saúde. Os resultados de vários estudos in vitro e in vivo mostraram atividade antioxidante, antimicrobiana, antiviral e antifúngica. Também são apontados os efeitos protetores nos sistemas cardiovascular, respiratório e gastrointestinal.

O estudo publicado na revista Molècules* diz que:

“O mel é uma substância natural apreciada pelas suas habilidades terapêuticas desde os tempos antigos. O seu conteúdo em flavonóides e ácidos fenólicos desempenha um papel fundamental na saúde humana, graças às altas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias que eles exercem. O mel possui capacidade antimicrobiana e atividade anticancerisna contra diferentes tipos de tumores, atuando em diferentes vias moleculares envolvidas na proliferação celular. Além disso, também foi destacada uma atividade antidiabética, com a redução da concentração sérica de glicose, frutosamina e hemoglobina glicosilada. O mel também exerce um efeito protetor no sistema cardiovascular, onde evita principalmente a oxidação de lipoproteínas de baixa densidade, no sistema nervoso, no sistema respiratório contra asma e infecções bacterianas e no sistema gastrointestinal. Um efeito benéfico do mel também pode ser demonstrado nos atletas. O objetivo desta revisão é resumir e atualizar as informações atuais sobre o papel do mel na saúde e nas doenças.”

Com tudo isto, o mel é um açúcar e a Organização Mundial de Saude não recomenda que a sua ingestão ultrapasse os 5% de calorias totais.

*- Cianciosi D, Forbes-Hernández TY, Afrin S et al. Phenolic Compounds in Honey and Their Associated Health Benefits: A Review. Molècules. 2018 11 de setembre; 23;9

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.